O objetivo da gestão de risco financeiro é a ótima aquisição de capital, bem como uma posição de liquidez orientada para as obrigações de pagamento. A garantia de liquidez é fornecida por meio de títulos escalonados de longo prazo. Além disso, uma facilidade de crédito em curso existe até o fim de 2010, disponibilizado por meio de um consórcio bancário. Uma ótima posição de liquidez é o resultado da centralização do caixa de todas as filiais e subsidiárias da empresa.

Gestão de riscos financeiros

As atividades do Grupo o expõem a uma variedade de riscos financeiros: riscos de mercado (principalmente os de câmbio, das taxas de juros e os de preço), riscos de crédito e riscos de liquidez. O programa de gestão de riscos financeiros do Grupo está focado na imprevisibilidade dos mercados financeiros e procura minimizar os potenciais efeitos adversos no desempenho financeiro do Grupo. O Departamento de Finanças Corporativas identifica, avalia e restringe os riscos financeiros em estreita cooperação com as unidades operacionais do Grupo.

Riscos de câmbio estrangeiro

O Grupo opera em todo o mundo e está exposto ao risco cambial decorrente da exposição de várias moedas, principalmente em relação ao euro e ao dólar norte-americano. O risco cambial surge quando as transações comerciais, os ativos ou passivos reconhecidos e os investimentos líquidos em operações estrangeiras são denominados em uma moeda que não seja a moeda funcional da entidade. Os Grupos se esforçam para compensar o impacto dos movimentos das taxas de câmbio ao máximo, utilizando as barreiras naturais. Os contratos/swaps a termo de moedas são o instrumento principal utilizado para restringir os riscos cambiais. Os ganhos e as perdas de hedges cambiais e os ativos ou passivos realizados ao valor justo são reconhecidos por meio de lucros ou prejuízos. O Grupo não aplica a contabilidade de operações de hedge.

A Sika realiza uma análise de sensibilidade para as moedas estrangeiras dominantes, o euro e o dólar norte-americano. As oscilações da moeda presumidas e possíveis são com base nas observações históricas e nos prognósticos futuros. Os instrumentos financeiros, o financiamento interno do Grupo e as transações de hedge cambial em moedas correspondentes estão incorporados nos cálculos.

Riscos de preço

O Grupo está exposto aos riscos de preço de compra, porque o custo dos materiais representa um dos maiores fatores de custo do Grupo. Os preços de compra são influenciados muito mais pela interação entre a oferta e a demanda, pelo ambiente econômico geral e pelos rompimentos intermitentes das cadeias de processamento e logística, que vão desde o petróleo bruto até a mercadoria comprada, do que pelos preços do petróleo bruto em si. A Sika restringe os riscos do preço de mercado para produtos importantes por meio da manutenção de estoques correspondentes e de contratos de grupo (lead buying). As matérias-primas mais importantes são os polímeros, tais como o poliuretano, resinas epóxi, cloreto de polivinila e materiais básicos cimentícios.

Risco de taxa de juros

Os riscos de taxa de juros são os resultados das alterações das taxas de juros que poderiam ter um impacto negativo sobre a posição financeira, o fluxo de caixa e a situação dos ganhos do Grupo. O risco de taxa de juros é limitado por meio da emissão de títulos de longo prazo de juros fixados. Uma mudança na taxa de juros, portanto, não alteraria as despesas financeiras anuais nem o capital dos acionistas concretamente. Os empréstimos bancários e as hipotecas locais são insignificantes. A evolução das taxas de juros é monitorada com atenção pela gerência.

Risco de crédito

Os riscos de crédito são decorrentes da possibilidade da contraparte de uma transação não poder ser capaz ou não estar disposta a honrar as suas obrigações, provocando assim uma perda financeira ao Grupo. Os riscos da contraparte são minimizados apenas por meio da celebração de contratos com parceiros de negócios reputáveis e bancos. Além disso, os saldos a receber são monitorados de forma permanente por meio de procedimentos de comunicação interna. As concentrações potenciais de riscos são reduzidas pelo grande número de clientes e sua dispersão geográfica. Nenhum cliente representa mais do que 1,55% das vendas líquidas do Grupo.

Risco de liquidez

A gestão prudente do risco de liquidez inclui a manutenção de caixa e equivalentes de caixa suficiente e a disponibilidade de financiamento de um montante adequado de linhas de crédito compromissadas. A gerência monitora a reserva de liquidez do Grupo com base no fluxo de caixa provisionado.