Comunidades

"Comunidade" vem do francês arcaico comuneté, palavra que vem, por sua vez, do latim communitas (“conjunto de pessoas, companheirismo”), termo usado para designar uma sociedade ou coletividade organizada. Comunidades, sejam elas pequenas ou grandes, são unidades sociais em que certos valores são compartilhados. Tanto comunidades de interação presencial (famílias, escolas, bairros etc.), normalmente pequenas, quanto comunidades maiores ou mais extensas (nacionais, internacionais e virtuais, por exemplo) são focos de estudos. Em geral, nas comunidades humanas estão presentes crenças, propósitos, preferências, recursos, necessidades, riscos e um número variado de outros fatores e condições que podem afetar a identidade e o grau de coesão de seus membros. Na prática, pode-se entender "comunidade" principalmente como "grupo de pessoas com alto grau de identificação social, intelectual ou  econômica".

 

Desde o advento da internet, o conceito de comunidade está menos limitado geograficamente, já que as pessoas podem se reunir em comunidades virtuais e compartilhar interesses independentemente de sua localização física. Antes da internet, as comunidades virtuais eram bem mais limitadas em função das tecnologias de comunicação disponíveis. Além do mundo virtual e dos bairros, comunidades nascem e se desenvolvem também em outros ambientes, como, por exemplo, o maior prédio público da Europa, a nova e avançada Biblioteca de Birmingham, no Reino Unido (p. 5). Em seus mais de dez andares, pessoas de qualquer idade podem compartilhar mais de 1 milhão de livros e cerca de 200 computadores, reunir-se na sala de música, encontrar-se nos teatros ou no café e visitar a galeria de arte.

 

Communitas também significa dar apoio às pessoas de um bairro pobre e ensiná-las a reformar seus lares (p. 43), dando a uma comunidade inteira acesso a soluções simples para tornar suas habitações confortáveis novamente. Estivemos também em um mosteiro budista, centro de vida comunitária, adoração, meditação e aprendizagem. Com 700 anos de existência, o templo de Wanla, em Ladakh (a cerca de 100 km a oeste de Leh, nas alturas do Himalaia) passou por uma reforma (p. 24) para que os monges possam voltar a usá-lo como local de reunião e centro de sua comunidade. As pessoas precisam de espaços e ambientes seguros para criar relações sociais duradouras. Isso é importante não apenas para suas práticas, mas também para suas identidades
sociais.