Para aqueles que nunca foram à quente e úmida Dar es Salaam, pode ser difícil entender o charme especial da Tanzânia. O país tem duas atrações turísticas de renome mundial – o Kilimanjaro, montanha mais alta da África, e a vida selvagem rica de parques nacionais como o Serengeti. – mas isso não é tudo. Às margens do oceano Índico, entre o Quênia e Moçambique, a Tanzânia tem muitas outras belezas. Todavia, sua estabilidade política ainda não se traduziu em prosperidade para todos os 55,5 milhões de tanzanianos. Para obter mais detalhes, nós nos encontramos com o gerente nacional da Sika Tanzânia, Alfonso Paradinas, no centro da cidade.

1. Um dos mais jovens gerentes gerais da Sika, o Sr. deixou a Europa há poucos meses para administrar a Sika Tanzânia. Como tem sido sua experiência e quais surpresas já teve em Dar es Salaam?

Faz apenas seis meses desde que cheguei à Tanzânia. Apesar das complexidades iniciais, estou agora bem estabelecido e feliz.

Após mais de dois anos em Zurique, a chegada a Dar es Salaam foi de fato um desafio: de sérias inundações e engarrafamentos aleatórios até as falhas no abastecimento de energia e água, o dia a dia na Tanzânia é uma montanha-russa. No entanto, agora que estou mais ou menos acostumado a essas “surpresas”, acho a cidade amigável e maravilhosa. ATanzânia é sem dúvida um país que valea pena explorar.

2. Qual sua maior vitória pessoal na gestão de uma equipe?

Essa não é minha primeira experiência com gerenciamento de linha, mas liderar uma equipe na África é muito diferente de fazê-lo na Europa. A motivação e a vontade de aprender de nossos colaboradores tanzanianos tornam meu papel muito mais gratificante.

Um gerente de linha deve não apenas motivar a equipe, mas também tornar o trabalho empolgante e desafiador. Em uma startup pequena como a SikaTanzânia, é mais fácil alcançar esses objetivos porque todos precisam cumprir muitos papéis diferentes. É impossível cair em uma rotina.

3. Qual é a primeira coisa que vem à mente quando o assunto é trabalhar na Sika Tanzânia?

Trabalho em equipe. Eu tenho sorte por ter um grupo tão unido. A ética e o espírito de trabalho facilitam muito minha atuação.

Na Sika Tanzânia, tenho a oportunidade de gerenciar e conhecer uma empresa com o incrível valor agregado de 17.000 funcionários em todo o mundo sempre dispostos a ajudar.

4. A Tanzânia tem se mantido política e economicamente estável nos últimos anos. Como o Sr. vê essa questão?

Em comparação com outros países africanos, a Tanzânia tem sido uma repúblicae stável desde sua independência, em 1961. No entanto, o país enfrenta desafios importantes desde a eleição do novo presidente, há pouco mais de um ano. Sua luta contra a corrupção gerou incertezas no mercado e problemas de liquidez. Muitos projetos de infraestrutura estão suspensos por falta de financiamento, e essa instabilidade tem levado alguns investidores internacionais a deixar o país.

Apesar do ambiente comercial desafiador, a Sika Tanzânia está em constante crescimento. Esperamos terminar o ano com resultados de vendas positivos.

5. E quanto ao mercado da construção? Onde a Tanzânia tem a ganhar com a Sika?

Apesar da atual falta de liquidez e das incertezas do mercado, a Tanzânia tem recebido de instituições internacionais como o World Bank e o FMI financiamentos direcionados a grandes obras de infraestrutura. Empreiteiras chinesas, turcas e marroquinas, apoiadas por seus governos, estão envolvidas em obras como a extensão do porto de Dar, uma nova ferrovia através do país e um novo estádio na capital Dodoma. Quando esses projetos forem lançados, estaremos prontos para nos tornarmos um dos fornecedores preferenciais.

Possuímos a única fábrica de aditivos do país, e isso torna nossos produtos e nossa cadeia de fornecimento extremamente atraentes. Ademais, o renome mundial da Sika por sua qualidade, resolução de problemas e presença local se traduz em um valor sem igual para o mercado tanzaniano.

6. Com relação à infraestrutura do país, o que o Sr. proporia para melhorar a vida das pessoas?

Enquanto a eletricidade chega a menos de 20% da população e pouco mais de 25% têm acesso a água e saneamento, mais de 65% dos tanzanianos acessam a internet! São números que apontam falhas na infraestrutura civil e no fornecimento de energia locais, em contraste com o avanço da tecnologia sem fio.

A Tanzânia precisa com urgência de investimentos em geração de energia (especialmente renovável), abastecimento de água e infraestrutura de saneamento.

7. Quais são os objetivos imediatos da Sika Tanzânia?

Vender, vender e vender! A Sika Tanzânia já tem mais de um ano de atuação no mercadoe investiu bastante no país. Estamos agora totalmente focados em aumentar as vendas. Inauguramos há pouco nossa fábrica de aditivos e nossas metas imediatas envolvem a produção de misturas prontas para concreto e a prospecção de clientes para a fabricação de cimento.

Precisamos aproveitar nossa proposta de valor única: sermos o único fornecedor a produzir aditivos para concreto e cimento localmente nos dá uma grande vantagem competitiva em termos de flexibilidade da cadeia de fornecimento e atendimento ao cliente local com produtos sob medida.

8. Safáris, ótimas praias, capital de grande porte, estabilidade política, paz entre muçulmanos e cristãos: essa é uma boa descrição da Tanzânia?

A Tanzânia tem, de fato, excelentes safáris, praias deslumbrantes e um pôr do sol incrível. A diversidade de atrações deste país é sem igual: você pode fazer trilhas pela a montanha mais alta da África, o Kilimanjaro; navegar e mergulhar no Oceano Índico; explorar as incríveis paisagens ao redor dos lagos Tanganyikae Vitória; ou, para os mais aventureiros, fazer safáris nos famosos parques nacionais.

No entanto, sempre penso que um país pode ser melhor definido pelo seu povo. Os tanzanianos são extremamente receptivos, sempre dispostos a ajudar e com um sor riso permanente no rosto. Até agora só encontrei pessoas muito gentis e tranquilas, que apreciam o presente sem se preocupar muito com o futuro.

9. O que o Sr. mais aprecia na vida na Tanzânia?

Viver na África sempre foi um dos meus grandes sonhos. Embora nossa chegada a Dar es Salaam tenha sido um grande desafio, especialmente durante a estação chuvosa, minha esposa e eu estamos enfim começando a nos adaptar e aproveitara vida, que tem aqui um ritmo diferentedo europeu. Estou gostando muito de ter mais tempo para ficar em casa com minha esposa, ler um livro ou assistir ao pôr do sol enquanto caminho pela praia.

Já que esta é minha primeira aventura africana e a Tanzânia é uma nação estrategicamente localizada, rodeada por oito belos países, estou ansioso para conhecer melhor o continente enquanto estiver vivendo aqui.

10. Quais são as suas aspirações quanto ao futuro do país?

Ainda há muito a se fazer aqui naTanzânia – principalmente novas rodovias, aeroportos, usinas de energia e estádios. O país é rico em recursos naturais como ouro, diamantes, ferro, carvão e gás natural. Isso é maravilhoso e deve ser uma grande ajuda no futuro.

Apesar dos numerosos desafios políticos do momento atual, estou muito otimista em relação ao futuro deste país. Há muitasoportunidades pela frente e esperamos que a Sika desempenhe um papel importante no desenvolvimento do mercado da construção na Tanzânia.

 

Obtenha mais detalhes sobre a Sika Tanzânia